Bioestatística em ciência do movimento humano e saúde coletiva

Biostatistics in human movement science and public health

Autores

  • Cassio Hartmann
  • Gabriel César Dias Lopes
  • Fábio da Silva Ferreira Vieira
  • Bensson V Samuel

DOI:

https://doi.org/10.53504/cpahjv1n5-015

Palavras-chave:

Bioestatística; Ciência do Movimento Humano; Saúde Coletiva.

Resumo

A bioestatística é a estatística aplicada ao campo biológico e médico, sendo essencial ao planejamento, coleta, avaliação e interpretação de todos os dados obtidos nas áreas de saúde. O presente artigo teve como objetivo apresentar os principais testes estatísticos em ciência do movimento humano e saúde coletiva, que são fundamentais para análise e interpretação de dados em pesquisa com Seres humanos e em pesquisas em ciência do movimento humano e saúde coletiva. Conclui-se que é de fundamental importância conhecer os tipos de pesquisa e as aplicações da bioestatística, afim de que o pesquisador possa seguir um caminho metodológico, uma linha de raciocínio coerente e não venha se precipitar em possíveis erros de viés durante a execução da pesquisa em ciência do movimento humano e saúde coletiva

Referências

BERNARDO, et. al 2013). Bioestatísticas: conceitos fundamentais e aplicações práticas. Rev Bras Oftalmol. 2014.

BERQUÓ, E. S.; SOUZA, J. M. P. & GOTLIEB, S. L. D., 1984. Bioestatística. São Paulo: E.P.M.

GARCIA, E. A. C. Manual de sistematização e normalização de documentos técnicos. São Paulo: Atlas, 1998.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

HARTMANN, C., LOPES, G.C.D., VIEIRA, F.S.F., SAMUEL, B.V. História da Promoção da Saúde e da Carta de Ottawa. Revista Cognitionis, Rio de Janeiro, 2020.

HARTMANN, C., LOPES, G.C.D., VIEIRA, F.S.F., SAMUEL, B.V. Epidemiologia: CORONAVÍRUS (COVID-19) e Recomendações da Prática de Atividade Física e Exercício Físico. Revista Cognitionis, Rio de Janeiro, 2020.

MARCONI, M.A., LAKATOS, E.M. Fundamentos de Metodologia Científica, e-book, Editora Atlas, 2017.

PITANGA, Francisco José Gondim. Atividade Física, Exercício Físico e Saúde. Salvador: Grafuf Ba, 1998.

POPPER, Karl R. A ciência normal e seus perigos. In: LAKATOS, Imre;

RAUEN, F. J. Elementos de iniciação à pesquisa. Rio do Sul, SC: Nova Era, 1999.

SILVA, E. L., MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. Florianópolis: Laboratório de Ensino à Distância da UFSC, 2001.

GUEDES, T, A. MARTINS, A. B. ACORSI, R. Projeto de Ensino: Aprender fazendo estatística. Paraná, 2015.

TRIOLA. M. F. Introdução à estatística. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos 1999.

TRIVINOS, A. N.s. Introdução a Pesquisa em Ciência Social: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo:1987.

YULE, G. U. & KENDALL, M. G., 1958. An Introduction to the Theory of Statistics. London: Charles Griffin.

Zar, J. H. Biostatistical analysis. Prentice-Hall, New Jersey, 1996.

Publicado

2021-10-06